O QUE ESPERAR DE “GLASS”? – O NOVO LONGA DE M. NIGHT SHYALAMAN, COM CENAS RODADAS EM PORTO ALEGRE E PARTICIPAÇÃO DO ELENCO STUDIO MODELS

Imagem do filme “Glass”

Em 1999, quando M. Night Shyalaman estreou mundialmente seu primeiro longa lançado com essa proporção, O Sexto Sentido (The Sixth Sense), surpreendeu público e crítica de maneira histórica. E aquele não era um ano qualquer, cinematograficamente falando. Tínhamos ainda filmes que se tornaram lendários causando impacto nas audiências ao redor do globo.

O filme escrito e dirigido pelo cineasta indiano naturalizado estadunidense, estrelado pelo super astro Bruce Willis e o prematuro Haley Joel Osment, cuja atuação lhe rendeu uma indicação ao Oscar, assim como o roteiro e a direção de M. Night.

No ano seguinte, O Sexto Sentido ainda não tinha saído da moda e o cineasta já lançava Corpo Fechado (Unbreakable; 2000). Dessa vez Willis dividia o elenco com Samuel L. Jackson, num thriller que elevou a história de super herói a outro patamar e o fez ser chamado de “o Hitchcock do novo milênio”, por conta do impacto de seus filmes com alto teor de suspense e suas rápidas aparições se confundindo em meio aos figurantes.

Dois anos depois foi que saiu Sinais (Signs; 2002), seu filme sobre seres extraterrestres com uma abordagem mais humana estrelada por Mel Gibson, Joaquin Phoenix, Abigail Breslin e Kieran Culkin. Este já começara a dividir opiniões.

Em seguida vieram: A Vila (The Village; 2004), A Dama na Água (Lady in the Water; 2006), Fim dos Tempos (The Happening; 2008), O Último Mestre do Ar (The Last Airbender; 2010),  e Depois da Terra (After Earth; 2013). Longas que cada vez mais eram considerados de má qualidade em termos de roteiro e direção. Parecia que o diretor nunca mais faria um filme que agradasse de maneira abrangente. Tanto que quando lançou A Visita (The Visit; 2015), poucas pessoas acabaram vendo, mas o retomava à originalidade inicial do diretor.

Já em 2017, saiu Fragmentado (Split). A produção trouxe James Mcavoy num thriller sobre um homem que representa uma ameaça conforme suas vinte e três personalidades vão se apresentando. Completamente desacreditado da indústria, M. Night bancou o filme do próprio bolso investindo nove milhões de dólares, provavelmente com o dinheiro que recebeu pelas produções que nem seus fãs gostam. Surpreendeu tanto que o boca a boca acabou o tornando o filme mais rentável do gênero na história da sétima arte.

Agora com Glass, previsto para Janeiro de 2019, as altas expectativas em volta do lançamento tem gerado mistério e surpresas. Para os distribuidores, no caso Universal Pictures e Disney já foram exibidos doze minutos do filme, e Shyamalan garante a recepção foi positiva; no evento ComiCon, que aconteceu em Julho, foi lançado o trailer oficial;  para o público brasileiro, mais especificamente o gaúcho, teve o retorno do diretor gravando cenas em Porto Alegre. E digo retorno porque suponho que ele tenha vindo a Passo Fundo, quando gravou a cena da aparição do extraterrestre em Sinais.

A princípio esperava-se que ele fosse a Guarulhos (SP) rodar cenas para Glass, porém a surpresa veio quando o próprio publicou em sua conta pessoal no Twitter uma foto com a equipe brasileira (inclusive membros do elenco da Studio Models que participaram do longa) elogiando o profissionalismo e a população local.

Foto do twitter pessoal de M. Night Shyalaman

Se este vai agradar ou não, é impossível prever, visto que o realizador é cheio de surpresas, tanto em suas narrativas na ficção, quanto em sua trajetória de sucessos e insucessos que acabaram bancando seu grande retorno às altas bilheterias e premiações de prestígio da indústria.

Trailer:

https://www.youtube.com/watch?v=U4ouW1BJKac

CURIOSIDADES:

– Ao mesmo tempo em que escrevia o roteiro de O Sexto Sentido, Shyalaman trabalhava no roteiro de mais dois sucessos de bilheteria lançados em 1999: O Pequeno Stuart Little (Stuart Little) e Ela é Demais (She’s All That). Tendo co-escrito este último como escritor-fantasma, ou seja, não recebeu os créditos.

– Tanto A Visita como Fragmentado, ele mesmo financiou. No primeiro investiu o valor estimado de 5 milhões de dólares, e faturou mundialmente pouco menos de 100 milhões, já no segundo desembolsou 9 milhões, que acabou rendendo uma bilheteria mundial de $278,454,358.

 

Fontes:

Internet Movie Data Base:

https://www.imdb.com/

1999: Quando o Cinema Quebrou a Realidade

https://www.youtube.com/watch?v=fRMzCn3XVjs

Ela é Demais: M. Night Shyamalan afirma que foi ghostwriter da comédia:

https://www.cineclick.com.br/noticias/ela-e-demais-m-night-shyamalan-afirma-que-foi-ghostwriter-da-comedia

Night Shyamalan: ame-o ou deixe-o – Lully de Verdade 174:

https://www.youtube.com/watch?v=Hi4at3mgzKA

FRAGMENTADO | Crítica feat Lully de Verdade:

https://www.youtube.com/watch?v=z6kRomlsLlY&t=477s

Leave a Reply